sábado, 5 de setembro de 2015

...


Saiu pra passear,
Para um destino desconhecido.
Convidado por quem sempre o protegeu.
O medo era grande e a paz não se abrigava.
Fora de casa, havia esperança do sossego.
Triste, é que não era um simples passeio.
Era fuga.
Era desespero,
Um grito por ajuda.
Inocente, embarcou para encontrar
A violência de se desgarrar da própria história.
O caminho, tortuoso e líquido, afogou o
Resto de sua pequena vida.
O menino, o bebê, repousou sem
Almofadinhas, cobertor ou seu brinquedinho preferido.
 
Se deitou nos braços gelados da areia
Da humanidade cruel.
Seu refúgio foi a eternidade.
 
Vivian Kosta
05.09.2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário